Processo de criação dos princípios de product design do will bank

Vou contar um pouquinho sobre a criação dos nossos princípios e explicar cada um deles.

A necessidade de criar um documento com os princípios de design surgiu enquanto discutíamos a arquitetura de informação do design system, há um ano. Queríamos ter algumas regras dentro da equipe para que falássemos a mesma língua e tivéssemos mais argumentos para ir para frente com uma ideia ou ter certeza de que ela não será relevante no produto.

Para começar os princípios, tivemos como referência:

  • Brandbook do will bank
  • Tom de voz do will bank
  • Valores da empresa
  • Regras de usabilidade e design

Com todos estes materiais em mãos, discutimos bastante e conseguimos chegar no resultado final. Agora, temos condição de discutir qualquer proposta de design e ter base para justificativas. :) O material é utilizado por todos os designers em diferentes squads.

Aqui estão os 5 princípios:

  • Confiável
  • Objetivo
  • Investigativo
  • Próximo ao cliente
  • Escalável

Começamos a conversar em reuniões semanais sobre os tópicos que queríamos abordar. Em seguida, utilizei o Polly para fazer questionários rápidos no slack sobre nomenclatura com a equipe. E utilizamos os comentários do Power Point do Google para discutirmos alguns tópicos sem precisar de mais reuniões (já temos muitas por conta do home office, não é?!).

O design do will bank precisa ser confiável. Tudo o que transmitirmos de informações precisam estar absolutamente corretas, simples de serem entendidas por um cliente leigo e as transações precisam ser seguras. Ou seja, precisamos projetar telas que os clientes se sintam seguros em interagir e realizar suas movimentações financeiras.

Precisamos evitar que os clientes cometam qualquer erro e manter a padronização dentro do aplicativo mesmo estando em squads diferentes.

O design precisa ser objetivo, ou seja, nada de “lero lero”. ;) Precisamos questionar:

  • Estamos entregando o básico antes de irmos para inovações?
  • Está fácil interagir com as funcionalidades dentro do aplicativo?
  • Os fluxos estão fluidos e breves?

Queremos reduzir esforço do cliente para que ele tenha a melhor experiência dentro das funcionalidades sem esforço e rapidamente conclua o seu objetivo.

O design precisa ter momentos investigativos: realizar testes a/b, testes de usabilidade, pesquisas comportamentais, consultas aos dados e etc. Sempre com foco em pesquisar problemas atuais do cliente e do negócio ou oportunidades de melhorias.

Queremos fazer com que a equipe entenda que temos a liberdade de sempre pesquisar também com o objetivo de validar se nossas propostas estão no caminho certo, se vamos resolver os problemas ou apenas estamos criando mais problemas para os nossos clientes.

O design precisa estar próximo ao cliente, ou seja, precisa se adaptar a ele. O cliente não deve se adaptar ao nosso estilo. Precisamos entender nosso cliente, estudar (investigativo), saber exatamente qual o seu comportamento e suas reais necessidades, somente assim saberemos como vamos seguir com as propostas.

Em alguns momentos falamos como se fossemos clientes mas não somos e precisamos entender isso. Não temos como pegar nossas vivências de moradores de uma cidade praiana, por exemplo, e “achar” que são parecidas com as de um cliente que mora no interior do Brasil. Não temos as mesmas experiências, portanto, temos que estudar nossos clientes para seguir em frente nas propostas feitas no produto.

 

O design precisa ser flexível, ser simples, padronizado. Como já dito no início, temos nosso design system bem feito e o utilizamos. Fazemos o possível para sempre utilizarmos toda a padronização e temos o design critique para discutir assuntos relacionados ao design.

O produto e o negócio precisam crescer juntos, as telas precisam ser fáceis de serem atualizadas e adicionarmos mais serviços. O design system precisa nos atender. Precisamos escalar produtos com frequência e precisamos estrutura pronta para isso.

Para finalizar

Com esses cinco princípios fechados, juntamente com o nosso design system, completamos uma parte da organização das nossas diretrizes internas de design. Sugiro que as equipes de design tenham, no mínimo, esses dois documentos bem feitos para guiar as decisões de design e padronizar as entregas finais.

Até mais,

Carol!

Post publicado originalmente no Tech Will: https://medium.com/tech-will/processo-de-cria%C3%A7%C3%A3o-dos-princ%C3%ADpios-de-product-design-do-will-bank-d77c13601dc